top of page

Conheça as cinco novas estratégias utilizadas por golpistas para realizar golpes bancários

E saiba como evitá-los:


Segundo dados divulgados pelo Serasa Experian, a cada nove segundos, um cidadão é vítima de golpes no Brasil. Mais especificamente, em relação aos golpes bancários, atualmente, estes têm como foco o cliente, utilizando a técnica conhecida como engenharia social, que consiste em convencer o cliente a fornecer suas credenciais de acesso ou realizar uma ação. Ainda, segundo a Federação Brasileira dos Bancos, em regra, as Instituições Bancárias possuem medidas de segurança adequadas, contudo, é justamente a falta de conhecimento dos clientes que acaba favorecendo a ação dos golpistas.



O phishing é a forma mais comum de engenharia social, em que uma página falsa imita o site da instituição e solicita os dados de acesso da vítima. Além disso, os golpistas também utilizam malwares, que infectam o celular ou computador da vítima e monitoram sua atividade bancária, ass


umindo o controle para realizar a fraude quando necessário. Outras abordagens incluem o uso de call centers falsos e golpes envolvendo o Pix. Todas essas estratégias exploram o usuário, e não falhas no sistema bancário, como explica Emilio Cini Simoni, CEO da AHT Security.


Conheça as cinco estratégias em alta utilizada pelos golpistas:


Golpe do falso policial:


Um dos golpes mais comuns atualmente é o golpe do falso policial. Nele, o cliente recebe uma ligação do golpista, que se faz passar por um policial e afirma que a conta da vítima foi invadida. Para realizar uma suposta perícia no cartão, o golpista solicita a senha da vítima e informa que o cartão será recolhido em sua residência. O golpista instrui a vítima a cortar o cartão, mas sem danificar o chip. A quadrilha busca o cartão com o chip intacto, o que lhes permite realizar transações e subtrair o dinheiro da vítima.


Para evitar esse tipo de golpe, é fundamental ter ciência que as Instituições Bancárias não possuem a prática de coleta de cartões à domicílio, além de, em caso de recebimento de ligações neste sentido, imediatamente entrar em contato com o seu banco a fim de averiguar a ocorrência de quaisquer problemas/invasão em sua conta.


Golpe do vírus do Pix:


O golpista entra em contato com a vítima afirmando ser um funcionário do banco, para tanto, utiliza de diferentes meios como e-mails, links e mensagens em aplicativos. O golpista pode alegar a ocorrência de diversos problemas com a conta do cliente, tais como: invasão ou clonagem de conta, movimentações suspeitas e outras artimanhas. Em seguida, o golpista envia um link para a instalação de um aplicativo que supostamente irá resolver o problema, no entanto, é através deste aplicativo que o golpista obtém acesso a todos os dados do celular da vítima.

Para evitar esse golpe, é importante saber que os bancos não costumam entrar em contato com os clientes pedindo para instalar aplicativos ou fazer transferências para resolver problemas, tampouco solicitam senha ou número do cartão. Caso receba esse tipo de contato, desligue imediatamente a ligação e entre em contato com o seu banco através dos canais de atendimento oficiais para verificar se está tudo dentro da normalidade com a sua conta.

Golpe do falso emprego:


Golpe do falso emprego é uma prática em que os golpistas se aproveitam de pessoas que buscam por vagas de trabalho, passando-se por falsas agências de emprego legítimas. Os fraudadores oferecem vagas atraentes com altos salários e, em seguida, solicitam que a vítima faça um curso rápido pago para se qualificar para a falsa vaga ou que realize transferências via Pix para fazer exames médicos de admissão falsos.


Para evitar cair nesse golpe, desconfie de contatos que apelam para a urgência e pressionam para que a transação seja feita rapidamente. Não realize transferências para pessoas físicas e, no caso de empresas, peça o CNPJ e verifique a reputação da empresa em sites de reclamações. Além disso, ao fazer pagamentos em sites, verifique se há o cadeado de segurança no navegador.



Golpe do falso brinde ou presente de aniversário:


No golpe do falso brinde ou presente de aniversário as quadrilhas descobrem os dados pessoais e datas de aniversários da vítima, entram em contato oferecendo um brinde a ser entregue pessoalmente. No entanto, ao chegar no endereço, o golpista pede o pagamento de uma taxa simbólica, podendo usar diversas táticas para roubar a vítima, dentre elas, a utilização de maquininhas com visor danificado para cobrar valor acima do combinado ou desviar a atenção da vítima para que ela digite a senha no campo destinado ao valor da compra, a fim de descobri-la.


Para evitar esse tipo de golpe, é importante não fornecer dados pessoais em links suspeitos e preencher cadastros com cautela. Além disso, não aceite presentes e brindes sem saber quem realmente está enviando, e, ao fazer compras presenciais evite entregar o cartão para alguém inserir na maquininha, bem como fazer pagamentos em objetos com visor danificado. Lembre-se também de que o campo de senha deve sempre mostrar apenas asteriscos.



Golpe do falso investimento:


Neste caso, os golpistas criam sites e perfis falsos em redes sociais, fazendo-se passar por corretores ou funcionários de instituições financeiras. Eles oferecem oportunidades de investimentos irresistíveis, com retornos imediatos, e pedem urgência para não perder a oportunidade.


Para evitar este tipo de golpe é importante ficar atento a contatos que ofereçam investimentos com abordagem agressiva e apelo à urgência, e, ainda, com valores irresistíveis. Nunca forneça dados pessoais em aplicativos de mensagens ou em redes sociais. Em caso de dúvida, ligue diretamente para a instituição financeira para verificar a veracidade da oferta.



Autora: Dra. Morgana Borges | OAB 45610/SC

55 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page