DEMITIDA POR FALTAS INJUSTIFICADAS, AUXILIAR DE LIMPEZA NÃO RECEBERÁ FÉRIAS PROPORCIONAIS

Esse é um tema muito recorrente, que as empresas normalmente questionam sobre o dever de pagamento do 13º salário proporcional e das férias proporcionais.


A Oitava Turma do Tribunal Superior do Trabalho isentou a M. Dias Branco S.A. Indústria e Comércio de Alimentos, de Bento Gonçalves (RS), do pagamento de férias proporcionais a uma auxiliar de serviços gerais demitida por justa causa por faltas frequentes e sem justificativa. A decisão segue a jurisprudência consolidada do TST sobre a matéria.

Dispensada em abril de 2018, após advertências e suspensões, a auxiliar sustentou, na reclamação trabalhista, que faltava porque tinha de levar os filhos ao médico e que sempre apresentava atestados e avisava a chefia. Por isso, requereu a reversão da justa causa e o pagamento das parcelas rescisórias da dispensa sem motivo.

Para o juízo de primeiro grau, no entanto, os documentos juntados pela empresa comprovaram o comportamento desidioso da empregada, que havia recebido cinco advertências e quatro suspensões. Segundo a sentença, os receituários médicos apresentados por ela não serviam para justificar a ausência ao trabalho, especialmente por não haver registro de falta injustificada nas datas das respectivas consultas.

O Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região (TRT-RS) manteve a justa causa, mas deferiu o pagamento das férias e do 13º salário proporcionais, com fundamento na Convenção 132 da Organização Internacional do Trabalho (OIT). Na avaliação do TRT, nem a convenção nem a Constituição da República trazem, em relação a esses direitos, ressalva para despedida por justa causa. O entendimento proferido no acórdão representa o entendimento do Tribunal Regional, consubstanciado na Súmula nº 139 do TRT4.

No TST, a Relatora, ministra Dora Maria da Costa, frisou que, de acordo com a Súmula 171 do TST, é indevido o pagamento de férias proporcionais na dispensa por justa causa. Ela explicou que, embora o artigo 7º, inciso XVII, da Constituição da República assegure aos trabalhadores o direito às férias, o artigo 146, parágrafo único, da CLT prevê o pagamento das férias proporcionais apenas nos casos de dispensa imotivada.

A decisão foi unânime.

Na mesma linha o TST tem entendimento uníssono no que se refere ao 13º salário proporcional, cujo direito do empregado se fundamenta no art. 3º da Lei 4090/1962, que expressamente refere sobre a rescisão sem justa causa.

Autor (a): Dr. Cláudio Zanatta

Fonte: TST (https://www.tst.jus.br/web/guest/-/demitida-por-faltas-injustificadas-auxiliar-de-limpeza-n%C3%A3o-receber%C3%A1-f%C3%A9rias-proporcionais).

4 visualizações

Escritório Porto Alegre
Fone: + 55 51 3231-0111

Escritório Florianópolis
Fone: +55 48 3024-3360

(48) 99972-0025

  • Facebook - Black Circle
  • Instagram - Black Circle